Pai, eu fico horrível de shortinho!

A discussão sobre uniformes escolares vai muito além da refrescante liberdade de usar shortinho reivindicada pelas alunas do Colégio Anchieta de Porto Alegre. Roupas pequenas podem chamar muito mais a atenção de outras meninas que não se acham o suficiente bonitas para usarem estas roupas menores e, no ambiente escolar, não tem nenhuma relação com machismo. Ansiedade sobre a aparência, controle do corpo e até distúrbios de alimentação podem ser fomentados pelo uso de uniformes que definem mais o corpo? Liberdade é permitir que algumas meninas possam comparar suas lindas pernas em uma competição de coxas? E as que não querem isso, vão se sentir em uma ditadura do shortinho? E quem não usar shortinho por se achar muito magrinha ou gordinha vai ser discriminada ou isolada?

Abaixo um trecho da reportagem do jornal inglês The Telegraph onde a discussão sobre uniformes escolares é nada shortinho.

Estudo Norte de americano de 2014 descobriu que meninas entre 10 e 11 anos que frequentam a escola junto com meninas com idade entre 12 a 14 têm 1,7 vezes mais probabilidades de estarem insatisfeitas com seus corpos, em comparação com aquelas que partilharam uma escola apenas com alunos mais jovens.

Os pesquisadores afirmam que as escolas exclusivamente primárias podem ter uma “vantagem de proteção” previnindo que as pré adolescentes tenham ansiedades em relação a peso e dieta quando se comparam as colegas mais velhas.

O estudo, realizado pelo Macalester College, publicado no Psychology of Women Quarterly, sugere que as alunas poderiam ser protegidas de pressões que surgem quando convivem com as meninas mais velhas e que podem levar a transtornos alimentares.

“Os níveis elevados de insatisfação corporal, desejo de emagrecer, a internalização do ideal de magreza, a vigilância corpo, e a vergonha do corpo podem comprometer adolescentes” sob ponto de vista social, emocional e de bem estar acadêmico, tanto durante os primeiros anos da adolescência e quanto na vida mais tarde, disse o chefe da pesquisa Jaine Strauss.

“Embora o interesse na imagem corporal tenda a diminuir à medida que as meninas se desenvolvem ao longo da adolescência, este estudo sugere que os agrupamentos com mais graus escolares podem influenciar o ritmo deste declínio de interesse” explica Strauss.

images (24)

 

 

 

 

 

 

Fonte: http://www.telegraph.co.uk/news/health/news/11105637/Middle-schools-make-young-girls-anxious-about-bodies.html

tight-trousers_3044304c

Anúncios

Sobre Luciano Medina Martins

Journalist, blogger, activist against the abuses of states against citizens. I don't write about one only topic, I like to interact with many different issues.
Esta entrada foi publicada em Behaviour, blogs e blogueiros, Comportamento, educação com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s